Conheça também outros projetos da ABIVIDRO:

Pesquisa revela a cadeia de reciclagem de embalagens em SC

novembro 7, 2014 Deixe seu comentário »
Pesquisa revela a cadeia de reciclagem de embalagens em SC

Foram analisados quatro elos da cadeia de reciclagem: coleta, triagem, revenda e recuperação de materiais.

Um mapeamento inédito revelou como funciona a cadeia de reciclagem de embalagens em Santa Catarina e os seus principais desafios. O levantamento, realizado pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) e pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL/SC), foi apresentado no seminário “A indústria e os resíduos sólidos”, promovido pela Federação, na terça-feira (4), em Florianópolis, segundo o site Embalagem & Tecnologia.

Foram realizadas 87 entrevistas presenciais para a pesquisa, em todas as regiões do Estado, com a participação de quatro elos da cadeia de reciclagem: coleta, triagem, revenda e recuperação de materiais.

Conforme o mapeamento, os principais desafios da cadeia são:

Coleta seletiva

-Forma em que a coleta seletiva é realizada (separação).

-Periodicidade coleta seletiva.

-Escoamento dos resíduos (local para disposição).

-Conscientização população.

Centros de triagem

-Força de trabalho (falta qualificação, informalidade).

-Informalidade das empresas (Licença ambiental inexistente na maioria).

-Local inapropriado para armazenamento.

-Contaminação dos resíduos desde a coleta.

Empresas de revenda

-Tributação (recolhimento sobre produtos já tributados na cadeia).

-Descarte de rejeitos (custo adicional para a disposição final).

-Baixa lucratividade.

-Catadores informais (desvantagem concorrencial entre empresas formais e informais).

-Carência de trabalhadores.

-Dificuldade de adequação às exigências legais (ambiental)

Indústrias de recuperação

-Bitributação quando aplicado a logística Reversa.

-Carência de resíduos selecionados.

-Carência de trabalhadores (preconceito).

-Dificuldade de adequação às exigências legais (ambiental)

-Manutenção e aquisição de maquinário (empresas menores).

O encontro de terça-feira foi mais uma ação do Plano de Sustentabilidade para a Competitividade da Indústria Catarinense, iniciativa da FIESC e suas entidades (CIESC, SESI, SENAI e IEL).

Veja aqui a apresentação completa da pesquisa.

Bolsa de Resíduos

No seminário, a FIESC também lançou a nova Bolsa de Resíduos, que pode ser acessada no endereço www.brfiesc.com.br. A iniciativa tem a finalidade de identificar oportunidades de negócios para os resíduos. Basta cadastrar-se gratuitamente.

Fonte: SP4 Comunicação

 

Publique seu comentário

Posts Relacionados