Conheça também outros projetos da ABIVIDRO:

Saint-Gobain estuda novas fábricas no Brasil

Maio 2, 2012 Deixe seu comentário »

Com bom desempenho brasileiro, Saint-Gobain estuda novas fábricas de embalagens de vidro no mercado nacional

O bom desempenho do Brasil em tempos de crise econômica deve garantir novos investimentos do grupo Saint-Gobain. Em visita ao país, Jérôme Fessard, vice-presidente da Saint-Gobain Packaging, afirmou que a companhia pretende aumentar sua produção local. “Estamos avaliando tanto a possibilidade de expansão nas fábricas já existentes quanto novas unidades”, diz. No Brasil, a divisão de embalagens de vidro do grupo é conhecida pela linha Verallia e possui três fábricas, além de um centro para criação de produtos.

Durante sua passagem pelo país, o executivo acompanha o período de revisão de performance da empresa. Os novos investimentos deverão ser anunciados em junho quando o grupo definirá o plano para o próximo quinquênio. Fessard afirma que a demanda dos clientes da companhia é crescente no país e essa tendência tem se espalhado pela América Latina. Em 2010, as vendas na região somaram € 306 milhões, o equivalente a R$ 713,4 milhões, e participaram em 8,5% na receita global da companhia que foi de € 3,6 bilhões (R$ 8,39 bilhões). O crescimento no período foi de 3,1%.

Américo Géza Dénes, diretor geral da Verallia na América do Sul, está participando da elaboração do plano de expansão e aguarda as definições da cúpula na França. “Vemos um futuro promissor para o Brasil, o que implica em aumento de capacidade”, diz. É o executivo quem está se aproximando do governo para trabalhar na aceleração do Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Segundo ele, a reciclagem de 10% dos vidros resultaria em uma redução de 3% dos custos energéticos.

Custos elevados

Segundo Dénes, apesar da disponibilidade de fontes de energia renováveis no Brasil, o acesso a elas ainda é uma preocupação. A atividade da Verallia é eletrointensiva e os custos de energia no país são considerados bastante elevados. Como possui uma demanda descentralizada, o país não pode dispor de um projeto de adaptação dos fornos para biomassa, como o que a empresa iniciará na fábrica localizada próxima à região vinícola da Argentina. O mesmo projeto já acontece na Alemanha e na França.

Os resultados positivos da Saint-Gobain fizeram com que a companhia rejeitasse as ofertas de compra realizadas por outras empresas para a sua divisão de vidros. Optou por uma oferta pública inicial (IPO) de suas ações na Bolsa de Paris. “Tem boas chances de ocorrer no terceiro trimestre deste ano”, afirma  o vice-presidente da Saint-Gobain Packaging.

Segundo Fossard, a Verallia têm boas oportunidades de expansão e sua operação cresce em importância dentro da empresa. “Vamos passar a ter uma autonomia em relação ao grupo Saint- Gobain, que tem um enfoque mais voltado à construção”, afirma. Ao final desse processo, a Verallia do Brasil passará a ser uma subsidiária da holding francesa.

Publique seu comentário

Posts Relacionados